14 de Novembro – Dia Mundial da Diabetes

Diabetes Mellitus, ou simplesmente Diabetes, é um grupo de doenças metabólicas onde se verificam níveis altos de glicose no sangue durante um longo período.Os sintomas desta patologia incluem polaquiúria (necessidade frequente de urinar), aumento da sede (polidipsia) e da fome (polifagia). Quando não é tratada, a diabetes pode causar uma série de complicações. Entre as complicações agudas estão a cetoacidose (caracterizada por hiperglicemia, hipercetonemia e acidose metabólica), coma hiperosmolar hiperglicémico (sintomas incluem incluem desidratação extrema e confusão) ou morte. Entre as complicações a longo prazo estão doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais, doença renal crónica, úlceras no pé e retinopatia diabética.

A diabetes é o resultado quer da produção insuficiente de insulina pelo pâncreas, quer da resposta inadequada das células do corpo à insulina produzida. Existem três tipos principais de diabetes:

 

  • Diabetes Mellitus Tipo 1 resulta da produção de quantidade insuficiente de insulina pelo pâncreas. Este tipo era anteriormente denominado “diabetes insulino-dependente”. 

 

  • A Diabetes Mellitus Tipo 2 tem origem na resistência à insulina, uma condição em que as células do corpo não respondem à insulina de forma adequada. À medida que a doença avança, pode também desenvolver-se insuficiência na produção de insulina. Este tipo era anteriormente denominado “diabetes não insulino-dependente”.

 

  • A Diabetes Gestacional é a condição em que uma mulher sem diabetes apresenta níveis elevados de glicose no sangue durante a gravidez.

 

Como diagnosticar a Diabetes?

Um dos principais problemas no diagnóstico da Diabetes está no facto dos sintomas passarem muitas vezes despercebidos, levando a um diagnóstico tardio. Para diagnosticar a Diabetes é necessária uma análise dos sintomas e dos factores de risco. Geralmente é utilizado apenas um parâmetro para fazer o diagnóstico da Diabetes. Se forem utilizados dois, deverão ser concordantes e, caso não sejam, dever-se-á repetir a análise. Se não existirem sintomas é natural que o médico peça uma segunda análise duas semanas após a primeira.

 

Como prevenir a Diabetes?

Embora a Diabetes não tenha cura, um bom controlo da glicemia pode prolongar a vida e evitar complicações nos diabéticos. A prevenção da Diabetes envolve três pontos importantes para o controlo da doença e essencialmente das suas complicações:

 

1 – Conhecer a Diabetes

É essencial que o diabético conheça bem o seu tipo de Diabetes, pois só dessa forma poderá cumprir e melhorar o tratamento. A maneira como lida com a sua patologia será o principal factor de sucesso no tratamento.

2 – Controlo da Glicemia

Controlar os níveis de glicemia é objectivo principal no tratamento da Diabetes. Se estes forem mantidos dentro de valores normais, a probabilidade de sofrer de complicações da Diabetes é muito menor.

3 – Alimentação Saudável

AS duas prioridades do diabético tipo 2 são melhorar os hábitos alimentares e perder peso. Sendo estes dois dos factores de risco que mais contribuem para a evolução da patologia e para a origem de complicações, são também os factores mais relevantes a controlar. A medicação não será eficaz se estes hábitos não forem melhorados.

 

 

Tanto a prevenção como o tratamento da diabetes consistem em manter uma dieta saudável, praticar regularmente exercício físico, manter um peso normal e abster-se de fumar. Em pessoas com a patologia, é importante fazer o controlo da pressão arterial e manter a higiene dos pés. A diabetes do tipo 1 deve ser tratada com injecções regulares de insulina. A diabetes do tipo 2 pode ser tratada com medicamentos por via oral como metformina e glibenclamida, com ou sem insulina. Tanto a insulina como alguns medicamentos por via oral podem causar baixos níveis de glicose no sangue.Em pessoas obesas com diabetes do tipo 2, a cirurgia de redução do estômago pode ser uma medida eficaz. A diabetes gestacional geralmente resolve-se por si própria após o nascimento do bebé. No entanto, se não for tratada durante a gravidez pode ser a causa de várias complicações para a mãe e para o bebé no futuro.

Calcula-se que em 2015 cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo tivessem diabetes. Cerca de 90% destes casos eram diabetes do tipo 2, o que corresponde a 8,3% da população adulta. A doença afecta em igual proporção homens e mulheres. Em 2014, a tendência sugeria que estes números continuariam a aumentar. A diabetes aumenta pelo menos duas vezes o risco de morte prematura. Entre 2012 e 2015, a diabetes foi a causa de entre 1,5 e 5 milhões de mortes anuais.

Aqui na FisioQI, para o tratamento da Diabetes, aliciamos a pratica de exercício físico, uma alimentação equilibrada (recomendada por um nutricionista) e também tratamentos de acupuntura para obter resultados mais eficazes e duradouros.

 

 

Qualquer dúvida, contacte-nos:

Podologia no Inverno – Cuidados a Ter

Assim como no Verão existem cuidados a ter com os pés, porque o uso de botas e sapatos fechados, no Inverno, poderá originar micoses, joanetes, unhas encravadas e calos. Prevenir estes problemas não é tão difícil quanto parece e os benefícios trazem conforto e boa aparência, assim como, a certeza de uma conduta saudável para os pés.

Com a utilização de sapatos fechados, a transpiração dos pés torna-se mais activa no Inverno, originando um ambiente sem ventilação e com humidade proveniente da transpiração, e isto aliado à temperatura e a falta de claridade, facilita a reprodução de fungos, causando odores indesejados e/ou onicomicoses. O ideal é fazer uma assepsia (limpeza) com um podologista e usar cremes específicos. Em casos extremos, quando há necessidade de extracção total ou parcial da unha, pode-se fazer uma reconstituição

Um problema muito comum no Inverno, é a unha encravada, causada pelo corte inadequado das mesmas. Nestes casos o uso de ortóteses auxiliam na correcção da curvatura da unha e auxiliam no seu crescimento correcto.

Os calos também tendem a incomodar mais. Duros, sensíveis ao toque e arredondados, desenvolvem-se nas saliências ósseas da parte de cima dos dedos, dando ao pé um aspecto descuidado. Uma dica importante é o uso de sapatos confortáveis e a variação no uso diário com mais de um par.

 

Dicas para manter os pés saudáveis:

• Lave e seque muito bem os pés, principalmente entre os dedos, depois do banho;

• Evite o uso de sapatos apertados;

• Utilize meias de algodão;

• Não corte calos ou calosidades. Consulte um podologista que execute o corte de suas unhas, pois não podem ser aparadas muito rente;

• Use hidratante próprio para os pés diariamente, massajando as áreas com maior calosidade;

• Se a pele estiver muito seca, utilize hidratante e coloque meias para dormir;

• Deixe a unha sem esmalte, pelo menos uma vez por semana, para evitar o ataque dos fungos;

• Caso esteja com algum problema nos pés, consulte um podologista, a pessoa mais indicada para o/a tratar.

 

 

Qualquer dúvida, contacte-nos: